Autor: Gabriel Ferreira
Publicado na revista: LaborNews 228

A Calibração dos equipamentos no laboratório deve ser realizada através de um material de referência. Os materiais utilizados nos laboratórios são Padrões e Soros Calibradores.

Padrão
É o Analito purificado dissolvido em Água ou Solução alcoólica adicionado de conservantes. As propriedades físico-químicas (viscosidade e densidade) no qual foram preparados são bastante diferentes das propriedades da amostra humana.
São recomendados para procedimentos de calibração de equipamentos manuais ou semi-automáticos. Nestes testes os volumes de amostra utilizados geralmente são maiores, portanto, estão menos propensos a desvios de calibração.

Soro Calibrador
É o Soro valorado por inúmeras análises com material de referência. Por serem oriundos de materiais biológicos estabilizados com conservantes, as propriedades físico-químicas do material (viscosidade e densidade) são semelhantes à amostra do soro ou plasma.
Os Calibradores são recomendados para calibração de equipamentos automatizados. Estes equipamentos utilizam volumes reduzidos de amostra, portanto a semelhança do material de calibração com o material de análise minimiza erros na calibração em função da pipetagem.

Tipos de Calibradores
- Líquidos, pronto para uso;
- Liofilizados, estes devem ser reconstituídos com água purificada para utilização;

Calibração Linear
Dosagem de dois materiais calibradores. O primeiro com concentração igual a zero e o segundo com concentração diferente de zero. Esta calibração é realizada na maioria dos parâmetros de Bioquímica e alguns analitos de Turbidimetria.

Alguns equipamentos automatizados não requerem o calibrador de valor zero. Nestes casos o equipamento realiza o “zero” com a água do equipamento ou através do Branco do reagente.

Calibração em Curva (Multiponto)
 
A calibração em curva é utiliza para reagentes que apresentam reações não lineares. São reações que geram uma curva que pode ser uma parábola ou senóide.

Alguns equipamentos automatizados não requerem o calibrador de valor zero. Nestes casos o equipamento realiza o “zero” com a água do equipamento ou através do Branco do reagente.

Calibração em Curva (Multiponto)
A calibração em curva é utiliza para reagentes que apresentam reações não lineares. São reações que geram uma curva que pode ser uma parábola ou senóide.

Bons hábitos após a calibração
• Registrar o novo fator de calibração em uma planilha de histórico de fatores.
• Avaliar o Fator obtido.
• Avaliar se a calibração corrigiu o desempenho do teste.

Causas de perda de calibração
• Modificação no desempenho do reagente
• Preparação inadequada do reagente de trabalho.
• Mistura de resíduo do reagente em uso com reagente novo.
• Reagente armazenado inadequadamente.
• Contaminação do reagente (arraste no equipamento ou exposição).

Causas de falha na calibração
• Volume de água utilizado na reconstituição do calibrador.
• Qualidade da água.
• Calibrador armazenado fora das condições especificadas.
• Valor determinado com uma metodologia e utilizado em outra.
• Recipiente inadequado para acondicionamento.
• Calibrador armazenado por tempo maior que o recomendado.
• Valor do calibrador que está no equipamento é diferente do que está em uso.
• Intercambio de Marcas

O cuidado no preparo e manuseio dos calibradores são requisitos fundamentais para garantir a exatidão dos resultados no laboratório.
A Biotécnica possui em sua linha de produtos Calibradores altamente purificados para suas linhas de Bioquímica e Turbidimetria.

Bons hábitos após a calibração
• Registrar o novo fator de calibração em uma planilha de histórico de fatores.
• Avaliar o Fator obtido.
• Avaliar se a calibração corrigiu o desempenho do teste.

Causas de perda de calibração
• Modificação no desempenho do reagente
• Preparação inadequada do reagente de trabalho.
• Mistura de resíduo do reagente em uso com reagente novo.
• Reagente armazenado inadequadamente.
• Contaminação do reagente (arraste no equipamento ou exposição).

Causas de falha na calibração
• Volume de água utilizado na reconstituição do calibrador.
• Qualidade da água.
• Calibrador armazenado fora das condições especificadas.
• Valor determinado com uma metodologia e utilizado em outra.
• Recipiente inadequado para acondicionamento.
• Calibrador armazenado por tempo maior que o recomendado.
• Valor do calibrador que está no equipamento é diferente do que está em uso.
• Intercambio de Marcas

O cuidado no preparo e manuseio dos calibradores são requisitos fundamentais para garantir a exatidão dos resultados no laboratório.

A Biotécnica possui em sua linha de produtos Calibradores altamente purificados para suas linhas de Bioquímica e Turbidimetria.