Originalmente publicado em: 23/7/2010
Texto técnico publicado nas revistas:
Labor News 210, Laes & Haes 185 e News Lab 100.

O HDL (Lipoproteína de Alta Densidade) é uma partícula pequena, constituída aproximadamente por 50% de proteína (apolipoproteínas), 20% de colesterol e 30% de fosfolipídios. O HDL é o responsável pelo transporte reverso do colesterol, ou seja, o HDL comanda o processo no qual o excesso de colesterol é removido dos tecidos periféricos e levado para o fígado, para ser reutilizado ou para ser eliminado na bile. É, portanto, a lipoproteína responsável por proteger o organismo, da formação de placas de ateroma; daí ser conhecido por colesterol “bom”. Diversos métodos são utilizados para sua determinação. Atualmente um método para dosagem direta através de imunosseparação tem ganho destaque nas análises laboratoriais.
O método funciona através de uma reação que ocorre em duas etapas: na primeira etapa anticorpos anti β-lipoproteína humana se ligam às lipoproteínas de baixo peso molecular (LDL, VLDL, Quilomícrons) deixando livre o HDL. Na segunda etapa as enzimas colesterol esterase e colesterol oxidase numa seqüência de reações formam peróxido de hidrogênio (H2O2). Este em presença da peroxidase e de uma substancia cromógena, formam um composto corado, que pode ser quantificado pelos analisadores convencionais.

Por tratar-se de um método que envolve uma reação bloqueio por anticorpos, é fundamental que o equipamento utilizado para realizar o exame esteja com seu sistema de incubação a 37°C, em perfeito funcionamento.

Este método de dosagem do HDL substitui o método clássico de precipitação, permitindo a completa automação das análises, facilitando a execução do exame, diminuindo o risco de erros, além de propiciar uma maior reprodutibilidade das análises.

A Biotécnica disponibiliza em sua linha de produtos o reagente para dosagem direta do HDL, através do método de imunosseparação.