Originalmente publicado em: 3/9/2010
Texto técnico publicado nas revistas:
Labor News 214, Laes & Haes 187 e News Lab 102.

O antígeno prostático específico ou PSA, é uma enzima glicoprotéica, que foi isolada de células epiteliais da glândula prostática em 1979. É um marcador tumoral, sendo utilizado para o diagnóstico, monitorização e controle da evolução do carcinoma de próstata. Vários pesquisadores afirmam que essa enzima é específica quanto a sua origem prostática, embora tenham sido relatados alguns casos isolados de elevação em tumores não prostáticos. Aproximadamente 25 a 46% dos homens com hiperplasia prostática benigna, tem concentração elevada de PSA. Pacientes com prostatite, com infecção urinária e que estão usando medicações anti-androgênicas também exibem elevações do PSA. O diagnóstico do câncer de próstata pode ser feito pela velocidade de elevação do PSA. Para tal, é necessário que o paciente tenha um histórico, ou seja, medições de PSA semestrais ou anuais. Na prática, um aumento de 0,75 ng/ml ou mais por ano, alerta fortemente à presença de um nódulo na próstata. A quantidade de PSA detectado no paciente, é que pode definir a propensão de um tumor prostático. O diagnóstico da doença, geralmente, está associado a uma quantidade de PSA dez vezes superior ao valor de referência de 0,1- 4,0 ng/ml. Atualmente o PSA é um teste muito importante para a detecção precoce do câncer de próstata, mas a combinação com o toque retal ou biopsia de próstata é fundamental, pois alguns pacientes com tumores podem registrar um PSA menor que 4,0 ng/ml. Atualmente o tumor de próstata é a modalidade da doença que mais atinge os homens, sendo responsável por 21% do total de casos. No Brasil, a cada ano, são registrados 22 novos casos por 100 mil habitantes. Raro em homens com menos de 50 anos , o câncer de próstata costuma se manifestar dos 50 aos 80, quando é registrado 60% dos diagnósticos. Em fase inicial, o tumor prostático não causa nenhum incômodo ao paciente. Os sintomas são obstrutivos como jato fino, fraco, intermitente, com presença de um esforço inicial e retenção urinária aguda e irritativos como aumento da frequencia miccional, disúria e urgência miccional. Tais sintomas, aumenta a necessidade de realizar os exames preventivos como a dosagem do PSA e o toque retal em todos os homens acima de 45 anos ou acima de 40 anos, se tiver antecedentes familiares de câncer de próstata.
A BioTécnica disponibiliza no mercado um kit imunoenzimático para a detecção e quantificação de PSA total no soro humano, com capacidade de detecção de 0,050 ng/mL.